A Ascensão E Queda Do Império Otomano: A História Da Criação Do Império Turco E Sua Destruição Mais De 600 Anos Depois (Portuguese Edition)

Independently published
SKU:
9781080987542
|
UPC:
9781080987542
$15.78
(No reviews yet)
Condition:
New
Usually Ships in 24hrs
Current Stock:
Estimated Delivery by: | Fastest delivery by:
Adding to cart… The item has been added
Em termos de geopolítica, talvez o evento mais marcante da Idade Média tenha sido o cerco otomano de Constantinopla em 1453. A cidade tinha sido uma capital imperial já no século IV, quando Constantino, o Grande, mudou o centro de poder dos romanos. Império lá, estabelecendo efetivamente duas metades quase igualmente poderosas do maior império da antiguidade. Constantinopla continuaria a servir como a capital do Império Bizantino, mesmo depois que a metade ocidental do Império Romano entrou em colapso no final do século quinto. Naturalmente, o Império Otomano também usaria Constantinopla como a capital de seu império após a conquista do Império Bizantino, e graças à sua localização estratégica, foi um centro comercial durante anos e continua sendo um hoje sob o nome turco de Istambul. O fim do Império Bizantino teve um efeito profundo não apenas no Oriente Médio, mas também na Europa. Constantinopla tinha desempenhado um papel crucial nas Cruzadas, e a queda dos bizantinos significava que os otomanos agora compartilhavam uma fronteira com a Europa. O império islâmico era visto como uma ameaça pelo continente predominantemente cristão a oeste, e levou pouco tempo para diferentes nações européias começarem a colidir com os poderosos turcos. Na verdade, os otomanos entrariam em choque com russos, austríacos, venezianos, poloneses e outros antes de entrar em colapso como resultado da Primeira Guerra Mundial, quando faziam parte das potências centrais. Ao estudar a queda do Império Otomano, os historiadores argumentaram sobre o ponto de ruptura que viu um poder global líder lentamente se tornar um império decadente. A fracassada batalha de Viena em 1683 é certamente um importante ponto de virada para o império em expansão; a derrota do grão-vizir Kara Mustafa Pasha nas mãos de uma coalizão liderada pela dinastia austríaca dos Habsburgos, o Sacro Império Romano-Germânico e a comunidade polaco-lituana marcou o fim do expansionismo otomano. Foi também o início de um lento declínio durante o qual o Império Otomano sofreu múltiplas derrotas militares, viu-se atolado pela corrupção e teve de lidar com os cada vez mais rebeldes janízaros (os soldados iniciais do Império). Apesar de tudo, o Império Otomano sobreviveria por mais de 200 anos, e no último século de sua vida se esforçou para reformar suas forças armadas, administração e economia até que finalmente foi dissolvido. Anos antes do colapso final do Império, o Tanzimat ("Reorganização"), um período de reformas violentas, levou a mudanças significativas no aparato militar do país, entre outros, o que certamente explica o sucesso inicial que o Império Otomano conseguiu alcançar seus rivais. Da mesma forma, a elaboração de uma nova Constituição (Kanûn-u Esâsî, lei básica) em 1876, apesar de ter sido abatida pelo sultão Abdul Hamid II apenas dois anos depois, bem como seu renascimento pelo movimento "Jovens Turcos" em 1908, destaca o entendimento entre as elites otomanas de que a mudança era necessária e a crença de que tal mudança era possível. No geral, a história da dissolução pode ser definida como uma corrida entre a "doença" crescente do Império de um lado (a incapacidade do otomano para apaziguar e federar as várias pessoas dentro de seu território), e tentativas constantes de encontrar uma cura na forma de amplas reformas. Estas questões são muitas vezes apresentadas em conjunto, mas tendem a deslocar o foco para o exterior, para os vários povos e as suas aspirações, juntamente com a crescente influência da Europa sobre o destino do Império Otomano. Para considerar tanto a "doença" quanto a cura, é necessário separá-las, antes de passar para a causa direta da dissolução do império (Primeira Guerra Mundial) e sua herança.


  • | Author: Charles River Editors
  • | Publisher: Independently Published
  • | Publication Date: Jul 16, 2019
  • | Number of Pages: 183 pages
  • | Language: Portuguese
  • | Binding: Paperback
  • | ISBN-10: 1080987541
  • | ISBN-13: 9781080987542
Author:
Charles River Editors
Publisher:
Independently Published
Publication Date:
Jul 16, 2019
Number of pages:
183 pages
Language:
Portuguese
Binding:
Paperback
ISBN-10:
1080987541
ISBN-13:
9781080987542